Exercícios físicos na gravidez: A corrida durante a gestação

by

A realização de exercícios físicos durante a gestação faz bem para a mãe e também para o bebê, auxilia na manutenção da condição física e também deixa o corpo em ótimas condições para a hora do parto. Mas qual é a metodologia mais segura, como e quando correr durante este período tão importante para a gestante.

O período de gestação é um período de extremo cuidado e atenção, principalmente, nos três meses iniciais. Entretanto, isso ao quer dizer que deve-se parar a corrida. A manutenção dos treinos de corrida pode trazer grandes benefícios para gestante e bebê.

É fundamental que se prossiga com a atividade, pois auxilia no bem estar emocional, disposição e na redução de dores articulares em razão do ganho de peso. Todavia, é necessário uma diminuição do ritmo.

Ainda que a anatomia e a fisiologia da mulher mude durante a gestação, o exercício tem risco baixo e tem grandes benefícios para a grande maioria das gestantes. Estudos demonstram que, com o exercício físico há a liberação de endorfina, trazendo uma sensação de bem–estar e tranqüilidade a gestante. Uma gestante que pratica exercício físico fica menos ansiosa e preocupada, alem do controle do peso, tem uma melhora no equilíbrio emocional, uma melhor condição física na hora do parto. Em relação ao bebê, este tem uma maior tolerância ao estresse, melhora na evolução neurológica e menos gordura.

Obviamente, que antes de iniciar ou reiniciar qualquer atividade física, a gestante deve procurar um ginecologista, um obstetra e um cardiologista. Feito isso, entra o profissional de Educação Física, este deve ter em mente que a Performance é deixada de lado, é necessário mudar o foco, que agora é o bem-estar para gestante e bebê. O Profissional de Educação Física deve deixar os treinos de corrida para melhora de marcas de lado, diminuir a intensidade e o volume dos treinos, e estar atento as modificações e reações do corpo da grávida.

A gravidez modifica o corpo da mulher, no quarto mês, com o aumento da barriga,esta tende a ir para frente e para baixo, realizando uma compensação para a parte de trás do tronco e da cabeça, realizando uma alteração no centro de gravidade da mulher. O profissional de Educação Física deve estar atento aos seguintes pontos: Cabeça, Lombar, Quadril, Joelhos e Pés.

O treinamento passa a ser adequado a cada período da gravidez, treinos de velocidade, como tiros e intervalados e treinos mais longos são deixados de lado, dando prioridade a treinos mais moderados e leves.

Mas até quando a gestante deve treinar?

É uma questão muito particular, algumas mulheres conseguem treinar até o dia anterior ao parto, portanto, cada caso é um caso. A gestante deve estar atenta aos sinais do seu corpo e comunicar ao seu professor. É importante estar atento a cada período da gestação, com a proximidade da hora do parto, desconfortos no quadril, joelhos, articulações e ligamentos são mais comuns, devido ao ganho de peso, conforme o crescimento do bebê. A verificação da FC (Freqüência Cardíaca) é sempre indicada.

Até o 3 mês ( o mais frágil) é necessário ter cuidado com duas variáveis: Força e Intensidade de treino. Ao saber que está grávida, a mamãe e seu treinador devem reduzir em 20% o volume de treino, com o intuito de diminuir risco de impactos.

Do 4º ao 6º mês, o profissional de Educação Física já pode experimentar, com cautela, modificações no treino, sempre no controle da percepção da grávida. No caso de uma gravidez saudável, sem riscos para mãe e bebê, pode-se aumentar em até 10% o volume de treino, não a intensidade.

Do 7º ao 9º mês, com o ganho de peso do bebê, os movimentos da gestante tendem a ficar limitados, momento propicio para reduzir, gradualmente, a corrida. Uma diminuição de 50% do volume e intensidade dos treinos é recomendada. Se for necessário cessar a corrida, caminhe.

É importante frisar que, correr durante a gravidez é ótimo, mas não para todas as grávidas. É recomendado que grávidas que anteriormente já faziam exercício físico, continuem, agora, grávidas que nunca correram ou praticaram exercício físico devem ter cuidado, para estas, a caminhada é recomendada.

Para finalizar, o efeito da corrida no pós parto:

Com a continuidade da corrida durante a gravidez, há uma manutenção dos níveis de força nos aparelhos cardiorrespiratório e músculo-esquelético fazendo com que a mãe volte mais rápido as suas atividades normais, além, de claro, auxiliar no parto.

Por Fabrício de Oliveira – Preparador Físico
CREF: 014470-G/RS
FIT PRO
Rua Marechal Floriano Peixoto, 475. Santa Maria.
(55) 3347-3397

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário